segunda-feira, 30 de maio de 2016

Os avós que cuidam dos seus netos deixam marcas permanentes em suas almas

No fim, os avós são os maiores fãs dos seus netos e os que mais reforçam a sua perseverança, os seus talentos, a sua determinação e os seus triunfos. E não há ninguém como os avós que perceba tão bem a atitude decidida dos seus netos, as suas canções favoritas e os seus olhos brilhantes impregnados de paixão.
Ninguém pode olhar para os netos com tanta ternura como os avós que deles cuidam, nem ninguém nunca conseguirá maravilhar-se tanto com o passar dos anos, assim como com a marca que vão deixando nos seus netos e que vai tomando forma.
Por isso, o cuidado dos avós reflete um amor puro repleto de alegria e de objetivos. Um carinho que educa as crianças, que as protege de um modo único que nem sempre é compreensível, que é indescritível.
Esse é o motivo pelo qual os avós que cuidam dos seus netos deixam marcas inapagáveis na alma, um grande legado emocional. Porque todos aqueles caprichos e presentes, assim como aquelas vezes em que os avós foram rápidos demais para aliviar a dor dos seus netos, fizeram com que o crescimento destes fosse marcado por um amor pleno, puro e incondicional.


segunda-feira, 9 de maio de 2016

5ª Edição do Concurso Literário - Resultados


5º Edição do Concurso Literário - “Contos da Minha Infância”

O Pescador de Polvos

Era uma vez, há muitos milhares de anos, uma pacata aldeia chamada Luz de Tavira, onde viviam valentes pescadores de polvos.
Certo dia entraram pela Ria Formosa adentro muitos polvos, mas foram todos rapidamente pescados. Até que apareceu um polvo gigante, que disse aos pescadores, com uma voz grossa:
- Parem de pescar mais polvos, senão os polvos extinguem-se!
Mas os pescadores não ouviram, pois fugiram assustados para o porto de abrigo.
Chegando a terra, um pescador vendeu todos os seus polvos que tinham pescados, nessa manhã, ganhando uma fortuna.
Com todo esse dinheiro decidiu comprar uma nau, contratar uma tripulação e ir enfrentar um polvo gigante.
No dia seguinte içaram velas e partiram em busca do Gigante da Ria Formosa.
Quando chegaram ao local onde tinham avistado o polvo pela última vez, não encontraram nada e resolveram esperar… de repente saiu das águas límpidas um enorme polvo, que aterrorizou a tripulação, apesar de já o conhecerem.
Nesse momento o polvo voltou a dizer:
- Pesquem só os polvos que necessitam para viver.
Um pescador desafiou-o dizendo:
- Ou posso pescar polvos à vontade ou pesco-te a ti.
E o polvo disse:
- Então pesca-me a mim, atirando-se para dentro da nau, afundando-se com toda a tripulação.
Depois de muita aflição, os polvos apareceram e salvaram os pescadores, arrastando-os para a costa.
Desde esse dia que os pescadores da Luz de Tavira conhecem esta história e só pescam os polvos que precisam.


Pseudónimo: “Ovo de Ferro”

Carlos Rocha - Ilustrador na 5ª Edição do Concurso Literário

Contamos ainda com a presença do Ilustrador Carlos Rocha, o qual dinamizou um Workshop de desenho em que 45 alunos fizeram em simultâneo o seu próprio desenho.
Carlos Rocha, desenhou e pôs um grupo de 45 alunos a desenhar um dragão.
Carlos Rocha, continua a desenhar enquanto jovens idosos da Instituição e famílias assistem ao desenrolar do seu trabalho.

Todos estão entusiasmados com a sua perfeição e criatividade do seu desenho.
Foi necessário  assinar o trabalho e atribuir um nome ao dragão. Uma menina sugeriu "O Desdentado" e a prof. Cidália concordou, bem como a restante plateia.