quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Boas Festas

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Assembleia Geral

9 de Novembro de 2010 - Assembleia Geral

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Reunião

13 de Outubro de 2010 - Reunião Geral

domingo, 10 de outubro de 2010

10 de Outubro, Dia Mundial da Saúde Mental

O Lado Obscuro da Nossa Mente
O lado obscuro da mente
As perturbações psiquiátricas são muito diversas nas suas manifestações, tanto nas vivências como nos comportamentos. Receios irracionais vividos com grande dramatismo, estados de tristeza intensa e profundo desânimo, experiências fora do normal, estranhas para o próprio e para os outros, revelam a complexidade da mente humana e a sua fragilidade.

O Dia Mundial da Saúde Mental tem uma data no calendário – 10 de Outubro. Com o intuito de não ignorar o referido dia, quisemos saber quais as doenças do foro psíquico mais comuns no nosso País. Descubra quais e saiba mais sobre o que mais perturba as mentes portuguesas...

Depressão Há vários tipos de depressão, que diferem nas causas, manifestações, gravidade e evolução. No entanto, podem encontrar--se factores comuns biopsicossociais, em diferente proporção, em todas as formas de depressão.

Segundo o director do Serviço de Psiquiatria do Hospital de Júlio de Matos, Dr. José Manuel Jara, «nos estados depressivos há uma diminuição significativa do ânimo e do estado do humor, em desproporção com as circunstâncias, tanto na intensidade como na duração dos sintomas».

Além da diminuição do humor, caracterizada pela tristeza e desânimo, contam--se também a perda de interesse e prazer e uma diminuição da energia, com fadiga e lentificação.

Outros sintomas frequentes são a diminuição da auto-estima, do desejo sexual, as ideias de culpa exageradas e o pessimismo. O doente passa, ainda, por uma diminuição da concentração e memória, por alterações do apetite e do peso, bem como por alterações do sono. As ideias e actos de suicídio também fazem parte da sintomatologia depressiva, sendo este um aspecto da maior importância e maior risco, a que, quer a família, quer o médico ou o próprio paciente devem estar atentos. Para cada pessoa pode haver sinais mais típicos no início da depressão.

«O próprio doente pode saber que está a iniciar-se uma nova crise por recordar as fases anteriores. Mas também pode acontecer que não reconheça que está doente, mesmo após várias experiências anteriores da doença. O primeiro episódio de depressão pode produzir incertezas, sendo frequente um atraso no diagnóstico médico», afirma o psiquiatra.

As depressões devem ser conceptualizadas como doenças e não como reacções compreensíveis ou como manifestações da personalidade. A idade em que se manifestam pode situar-se na infância, na juventude ou na terceira idade.

Quando os sintomas depressivos se instalam em resposta a situações de conflito ou perda, ou mesmo de stress excessivo, compreendem-se como uma reacção a circunstâncias psicológicas e sociais. Esta reacção acentua-se, gerando uma incapacidade para lidar com os problemas.

Noutros casos, a depressão pode instalar-se subitamente, ou num período curto, sem qualquer nexo psicológico. Por exemplo, na mudança de estação do ano, na sequência de uma doença física ou em resposta a um fármaco.

As depressões são transtornos frequentes. Segundo os dados fornecidos por José Manuel Jara, «nos países ocidentais a prevalência situa-se num risco, durante a vida, de 5-12% da população no homem e de 9-25% da população na mulher».

É de realçar o facto que a maioria das pessoas que sofre de depressão recupere após cada episódio.
Esquizofrenia A esquizofrenia é uma doença com sintomas mentais que abrangem a percepção, o pensamento, a vontade, os afectos e as emoções, de um modo qualitativamente diferente da psicologia normal.

O doente passa por experiências estranhas e bizarras, que vão desde o sentir-se o centro do mundo, ao ouvir vozes que levam o doente para um mundo imaginário povoado por «outros», passando pelas ideias muito fora da realidade, que defende com forte convicção. Estes sintomas contrastam com outros, designados «negativos», menos visíveis, mas muito incapacitantes, como a perda da vontade e do contacto afectivo, empobrecimento do pensamento e da linguagem.

Paula Cravina de Sousa, in: http://medicosdeportugal.saude

sábado, 9 de outubro de 2010

9 de Outubro, Dia Internacional dos Cuidados Paliativos

Cuidados Paliativos


CUIDADOS PALIATIVOS: O QUE SÃO?
Apesar de todos os progressos da Medicina na segunda metade do século XX, a longevidade crescente e o aumento das doenças crónicas conduziram a um aumento significativo do número de doentes que não se curam. O modelo da medicina curativa, agressiva, centrada no “ ataque à doença
“ não se coaduna com as necessidades deste tipo de pacientes, necessidades estas que têm sido frequentemente esquecidas.
A não-cura era ( e frequentemente ainda continua a ser ) encarada por muitos profissionais como uma derrota, uma frustração, uma área de não-investimento. A doença terminal e a morte foram “hospitalizadas” e a sociedade em geral aumentou a distância face aos problemas do final de vida. As questões em torno da morte – e que interessam a todos - constituem ainda hoje um tema tabu.

O movimento moderno dos cuidados paliativos, iniciado em Inglaterra na década de 60, e que posteriormente se foi alargando ao Canadá, Estados Unidos e mais recentemente( no último quarteirão do século XX ) à restante Europa, teve o mérito de chamar a atenção para o sofrimento dos doentes incuráveis, para a falta de respostas por parte dos serviços de saúde e para a especificidade dos cuidados que teriam que ser dispensados a esta população.
Os cuidados paliativos definem-se como uma resposta activa aos problemas decorrentes da doença prolongada, incurável e progressiva, na tentativa de prevenir o sofrimento que ela gera e de proporcionar a máxima qualidade de vida possível a estes doentes e suas famílias. São cuidados de saúde activos, rigorosos, que combinam ciência e humanismo.

Apesar da pertinência da resposta advogada pelos cuidados paliativos para as questões em torno da humanização dos cuidados de saúde e do seu inequívoco interesse público, o certo é que hoje, no início do século XXI, este tipo de cuidados não está ainda suficientemente divulgado e acessível àqueles que deles carecem.

No nosso país, mais concretamente, podemos dizer que os serviços qualificados e devidamente organizados são escassos e insuficientes para as necessidades detectadas – basta lembrar que o cancro é a segunda causa de morte em Portugal, com uma clara tendência a aumentar. Para além disso, importa reforçar que os cuidados paliativos são prestados com base nas necessidades dos doentes e famílias e não com base no seu diagnóstico. Como tal, não são apenas os doentes de cancro avançado que carecem destes cuidados: os doentes de SIDA em estádio avançado, os doentes com as chamadas insuficiências de órgão avançadas (cardíaca, respiratória, hepática, respiratória, renal) , os doentes com doenças neurológicas degenerativas e graves, os doentes com demências em estádio muito avançado. E não são apenas os idosos que carecem destes cuidados – o problema da doença terminal atravessa todas as faixas etárias, incluindo a infância. Estamos , por isso, a falar de um grupo vastíssimo de pessoas – dezenas de milhar, seguramente - , e de um problema que atinge praticamente todas as famílias portuguesas. 

http://www.apcp.com.pt/index.php?n=cuidados-paliativos

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Fernando Pessoa

"Um dia a maioria de nós irá separar-se.
Sentiremos saudades de todas as conversas atiradas fora,
das descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos,
dos tantos risos e momentos que partilhámos.

Saudades até dos momentos de lágrimas, da angústia, das
vésperas dos fins-de-semana, dos finais de ano, enfim...
do companheirismo vivido.

Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.

Hoje já não tenho tanta certeza disso.
Em breve cada um vai para seu lado, seja
pelo destino ou por algum
desentendimento, segue a sua vida.

Talvez continuemos a encontrar-nos, quem sabe... nas cartas
que trocaremos.
Podemos falar ao telefone e dizer algumas tolices...
Aí, os dias vão passar, meses... anos... até este contacto
se tornar cada vez mais raro.

Vamo-nos perder no tempo...

Um dia os nossos filhos verão as nossas fotografias e
perguntarão:
Quem são aquelas pessoas?
Diremos... que eram nossos amigos e... isso vai doer tanto!

- Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons
anos da minha vida!
A saudade vai apertar bem dentro do peito.
Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente...

Quando o nosso grupo estiver incompleto...
reunir-nos-emos para um último adeus a um amigo.
E, entre lágrimas, abraçar-nos-emos.
Então, faremos promessas de nos encontrarmos mais vezes
daquele dia em diante.

Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a
sua vida isolada do passado.
E perder-nos-emos no tempo...

Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não
deixes que a vida
passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de
grandes tempestades...

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem
morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem
todos os meus amigos!"

                                                          Fernando Pessoa
**************************************************    

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram,
mas na intensidade com que acontecem
Por isso existem momentos inesquecíveis,
coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis"

Fernando Pessoa

terça-feira, 5 de outubro de 2010

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Festas de Verão no Largo da República

TRIAL ADVENTURE e torneio de Foot Volley no próximo dia 5 de Setembro junto às Bombas da Galp na Luz Tavira.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Festa da Juventude em Tavira

Festa Equestre em Tavira



A Casa do Povo de Luz de Tavira apoia a festa equestre, com desfile pelas ruas da cidade, que se realiza no próximo fim de semana.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Palestra "AVC - Causas e Consequências"

No próximo dia 6 de Julho tem lugar na Casa do Povo de Luz de Tavira uma palestra subordinada ao tema: "AVC - Causas e Consequências". Esta palestra dirigida a toda a população é proferida pela Técnica de Farmácia Joviana João Gonçalves.Trata-se de uma acção de prevenção conjunta entre a Farmácia Maria Isabel e a Casa do Povo de Luz de Tavira(Instituição de Utilidade Pública, Apoio Domiciliário e Centro de Dia).

sexta-feira, 18 de junho de 2010

O Sol e os Idosos



Com o Verão, sobe a temperatura e há maior probabilidade de os idosos desidratarem, mas este problema é transversal a todas as estações. Várias causas ligadas ao envelhecimento contribuem para que seja frequente a desidratação nos mais velhos. Por isso, é indispensável incentivá-los a beberem água.

Avança a idade e com ela os mais velhos sentem menos sede e bebem menos água. Esta situação, aliada à "redução da capacidade de concentração da urina, às alterações da composição corporal, a uma diminuição da elasticidade da pele (perde-se água por esta via) e à ingestão excessiva de alimentos doces e salgados, devido à redução da capacidade sensorial que leva a uma maior apetência para um consumo abusivo destes alimentos", contribui para haver casos de desidratação.
In, http://medicosdeportugal.saude.sapo.pt/action

segunda-feira, 31 de maio de 2010


Mais um evento para este início de Verão.

LUZ VIVA

quinta-feira, 29 de abril de 2010

II PASSEIO TT - Casa do Povo



terça-feira, 13 de abril de 2010

Assembleia Geral

13 de Abril de 2010 - Continuação da Assembleia Geral do dia anterior

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Assembleia Geral

12 de Abril de 2010 - Assembleia Geral

domingo, 7 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher

PORQUÊ O DIA 8 DE MARÇO

A ideia da existência de um dia internacional da mulher foi proposta na virada do século XX, no contexto da Segunda Revolução Industrial, quando ocorre a incorporação da mão-de-obra feminina em massa, na indústria.
As condições de trabalho, frequentemente insalubres e perigosas, eram motivo de frequentes protestos por parte dos trabalhadores. As operárias em fábricas de vestuário e indústria têxtil foram protagonistas de um desses protestos contra as más condições de trabalho e os baixos salários, em 8 de Março de 1857, em Nova Iorque.
Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas.
Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher".
De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em Portugal como no resto do mundo.

O QUE SE PRETENDE COM A CELEBRAÇÃO DESTE DIA
Pretende-se chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa, perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que vêm sendo impostos à mulher.

In: http://www.eselx.ipl.pt/ciencias sociais/Temas/direitos_mulher

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Assembleia Geral

10 de Fevereiro de 2010 - Assembleia Geral

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Reunião

25 de Janeiro de 2010 - Reunião Geral